3 de agosto de 2013

Andei Lendo #28 A Distância Entre Nós

Título: A Distância Entre Nós

Autor(a): Thrity Umrigar

Editora: Nova Fronteira, 1º Edição 336 páginas.

Sinopse: BOMBAIM, ÍNDIA. Duas mulheres. Duas vidas. Dois destinos que poderiam ser um só. Sera e Bhima estão indiscutivelmente ligadas, seja pelo silêncio ou pela cumplicidade. Mas ao mesmo tempo estão distantes, separadas por uma fronteira intransponível. Como se o fio que as une não fosse forte o suficiente para aguentar uma descarga elétrica, força que parece definir a sorte e a tragédia da patroa e da empregada. Duas vidas marcadas pela decepção, enganadas pela traição, sujeitas a uma sociedade cruel cuja voz berra e marca a fogo a existência dessas mulheres. A Distância Entre Nós é um romance avassalador, envolvente, intenso. Você não conseguirá parar de lê-lo, e não será o mesmo quando alcançar a última pagina. Acredite.


#Resenha


Foi uma leitura... interessante. Não posso dizer que gostei muito, mas é um bom livro.
Conta a história de duas mulheres que convivem todos os dias, mas que são de mundos completamente diferentes. Sera, uma mulher rica e Bhima, sua empregada. No decorrer do livro cada uma conta sua história, suas magoas, os homens que a maltrataram e a fizeram sofrer, que as transformaram nas pessoas que são hoje.  A história se passa na Índia, então é muito interessante saber o que se passa na cabeça de cada uma, o que elas pensam sobre as pessoas em geral, ou de castas diferentes das delas. É um mundo muito precário e preconceituoso. Como as linha desse mundo são firmes, separando pessoas iguais de forma inevitável. A leitura é leve e as histórias lembradas pelas duas são muito reais e duras. Posso dizer que Sera muitas vezes me irritou pelo seu jeito superior, mesmo tendo criticado esse comportamento em seu marido anos atrás. Ao contrario dela, Bhima é uma pessoa que sofreu muito, mas aceita que tem, e sonha com um futuro impossivelmente melhor. Porém ao decorrer da leitura você percebe que elas são assim porque a sociedade em que elas cresceram, em que elas foram criadas as obriga a pensar e agir assim. É como se fosse uma coisa que não pode ser mudada de jeito nenhum, como se o preconceito e a falta de confiança nos demais fizesse parte do DNA de cada um que nasce nesse lugar cheio de regras e distinções.

• Classificação: Bom!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, volte sempre! *-*