25 de agosto de 2013

Layout novo, \o/

Olá pessoas lindas do meu coração ~Ninguém mais lê isso aqui mas eu nem ligo u.u~

Viram que o blog ta com a cara nova? Ta lindo né? *--*
Ta bem simples, mas ta do jeito que imagino um canto tão importante como o meu Diário compartilhado. Tanto, que fui eu mesma que desenhei, vetorizei e colori a menininha que está ai do lado! \o/
Espero que, quem quer que ainda venha aqui :D, aprove o novo layout!

Até breve ;*

13 de agosto de 2013

You got the music on you ♪

Toda noite deitamos e pensamos no dia que passou, imaginamos como teria sido diferente se pudéssemos controlar certos detalhes. E não importa o quanto perdemos nosso tempo imaginando, desejando que isso ou aquilo fosse diferente em nossa vida. Tudo não passa exatamente disso: Tempo perdido. As coisas são assim quer você esteja ou  não pronto pra isso. Mas isso não significa que nós não podemos estar preparados para o que o futuro reserva. Se o ontem não foi bom, pra que se arrepender? A gente pode fazer o amanhã melhor. Aprendi que nós podemos ser exatamente aquilo que queremos, e mesmo que as vezes aconteçam imprevistos, o grande segredo de tudo é não desistir, é procurar fazer tudo da melhor forma possível e viver cada dia aceitando o que ele foi. Sem querer ser clichê e já sendo, todos nós temos muita coisa pra aprender, mas também temos muita coisa pra construir. Todo mundo tem isso dentro de si, basta saber reconhecer que a vida é sim isso tudo que parece ser. Só depende de nós mesmos.

Agradeço infinitamente a Glee por ter me ensinado isso, e agradeço ao meu ship de sempre, Finchel/Monchele, por me mostrar que o que existe no fundo de nossos corações permanece lá para sempre. Faz um mês que o mundo parece mais cinza Cory, mas eu só desejo que para você esteja sendo mais colorido do que nunca.



5 de agosto de 2013

Andei Lendo #29 Sussurros de Uma Garota Apaixonada

Título: Sussurros de Uma Garota Apaixonada

Autor(a): Mandy Porto

Aditora: Underworld, 1º 244 páginas.

Sinopse: Sussurros de uma garota apaixonada apresenta Brooke Watson, uma novata na Universidade de Stanford. Brooke não queria saber nada de garotos, apenas queria se concentrar nos estudos e ser uma boa médica no futuro. Danny Garcia entra em sua vida, um garoto arrogante que a maioria das pessoas da Universidade detesta. Ele é morto por um Serial-Killer do campus e Brooke é a única que consegue vê-lo. Eles se detestam, mas deverão trabalhar juntos para descobrir quem é o assassino que está matando meninos no campus da Universidade.
E mais uma vez o amor ultrapassa os limites da morte...




#Resenha


MEU DEUS QUE LIVRO TÃO LINDO! Ok, parei.
É serio, me apaixonei por esse livro já nas primeiras páginas, Danny é a coisa mais fofa que já vi! Vi resenhas de pessoas que não gostaram de Brooke por acha-la parecida com Bella de Crepúsculo e fiquei surpresa porque não tem nada a ver! Ela é uma menina completamente comum, reservada, mas que sabe se divertir. É injusto sair comparando todos os livros atuais com Crepúsculo, até parece que Crepúsculo dividiu a história em pré e pós Crepúsculo, acho isso muito chato. Superem Crepúsculo pelos deuses! Ou criticando o tanto que ela chorava, bem eu admito que ela chora demais mesmo mas acho isso legal nos livros, nem todo mundo tem que ser forte, e chorar pra mim da uma ponta de humanidade no personagem.

Como eu disse, Brooke é uma garota comum, que se apaixona tarde demais pela pessoa mais fofa do mundo! Mas isso nãos os impede de viver um romance lindo e ainda desvendar o mistério do Serial Killer do campus em que estudam. Me apaixonei de verdade por esse livro, suspirei em cada palavra de Danny. O que mais gostei foi que Danny aparece bastante. Não gosto muito de romances que o mocinho mal aparece, e o resto da história de arrasta quando ele não está por perto. Todos os personagens são bem descritos e bem elaborados, divertidos e não tem ninguém que seja extremamente irritante, pois odeio esses personagens. Enfim, o livro é lindo, a história é linda, Danny é lindo e eu amei tudo!

• Classificação: Ótimo! ♥

3 de agosto de 2013

Andei Lendo #28 A Distância Entre Nós

Título: A Distância Entre Nós

Autor(a): Thrity Umrigar

Editora: Nova Fronteira, 1º Edição 336 páginas.

Sinopse: BOMBAIM, ÍNDIA. Duas mulheres. Duas vidas. Dois destinos que poderiam ser um só. Sera e Bhima estão indiscutivelmente ligadas, seja pelo silêncio ou pela cumplicidade. Mas ao mesmo tempo estão distantes, separadas por uma fronteira intransponível. Como se o fio que as une não fosse forte o suficiente para aguentar uma descarga elétrica, força que parece definir a sorte e a tragédia da patroa e da empregada. Duas vidas marcadas pela decepção, enganadas pela traição, sujeitas a uma sociedade cruel cuja voz berra e marca a fogo a existência dessas mulheres. A Distância Entre Nós é um romance avassalador, envolvente, intenso. Você não conseguirá parar de lê-lo, e não será o mesmo quando alcançar a última pagina. Acredite.


#Resenha


Foi uma leitura... interessante. Não posso dizer que gostei muito, mas é um bom livro.
Conta a história de duas mulheres que convivem todos os dias, mas que são de mundos completamente diferentes. Sera, uma mulher rica e Bhima, sua empregada. No decorrer do livro cada uma conta sua história, suas magoas, os homens que a maltrataram e a fizeram sofrer, que as transformaram nas pessoas que são hoje.  A história se passa na Índia, então é muito interessante saber o que se passa na cabeça de cada uma, o que elas pensam sobre as pessoas em geral, ou de castas diferentes das delas. É um mundo muito precário e preconceituoso. Como as linha desse mundo são firmes, separando pessoas iguais de forma inevitável. A leitura é leve e as histórias lembradas pelas duas são muito reais e duras. Posso dizer que Sera muitas vezes me irritou pelo seu jeito superior, mesmo tendo criticado esse comportamento em seu marido anos atrás. Ao contrario dela, Bhima é uma pessoa que sofreu muito, mas aceita que tem, e sonha com um futuro impossivelmente melhor. Porém ao decorrer da leitura você percebe que elas são assim porque a sociedade em que elas cresceram, em que elas foram criadas as obriga a pensar e agir assim. É como se fosse uma coisa que não pode ser mudada de jeito nenhum, como se o preconceito e a falta de confiança nos demais fizesse parte do DNA de cada um que nasce nesse lugar cheio de regras e distinções.

• Classificação: Bom!

1 de agosto de 2013

Andei Lendo #27 A Cor Púrpura

Título: A Cor Púrpura

Autor(a): Alice Walker

Editora: Marco Zero, 6º Edição 315 paginas.

Sinopse: O livro narra a comovente trajetória de uma mulher negra na racista América do início do século passado. A Cor Púrpura é um romance feminista sobre a força e dignidade do espírito humano. Aline Walker foi vencedora do Prêmio Pulitzer em 1983.
A comovente história da adolescente negra começa em uma pequena cidade na Geórgia (EUA) em 1909. Celie, uma jovem com apenas 14 anos é violentada pelo pai e se torna mãe de duas crianças. Além de perder a capacidade de engravidar, Celie imediatamente é separada dos filhos e da única pessoa no mundo que a ama, sua irmã. Ela é doada por seu pai a "Sinhô", que a trata mais como escrava do que como esposa. Grande parte da brutalidade com que Sinhô a trata provêm por alimentar uma forte paixão por Docí Avery, uma sensual cantora de blues, que foi sua amante e tem grande influência na vida de Celie. Celie fica muito solitária e compartilha sua tristeza em cartas (a única forma de manter a sanidade em um mundo onde poucos a ouvem), primeiramente com Deus e depois com a irmã Nettie, que se tornou missionária na África. Conforme a trama se desenvolve, Celie revela seu espírito brilhante, ganhando consciência do seu valor e das possibilidades que o mundo lhe oferece.

O livro é narrado em primeira pessoa e tem uma linguagem bastante peculiar de uma “quase analfabeta”.



#Resenha

Esse livro é um encanto. Celie é uma jovem que foi abusada pelo próprio pai e entregue para se casar com “Sinhô” já que sua irmã mais jovem era mais inteligente e tinha possibilidades de um futuro melhor. O livro é composto por cartas que Celie escreve para Deus, contando coisas sobre sua vida e as pessoas que estão ao seu redor. É uma história muito linda e triste. Celie é uma personagem apaixonante, sofri e sorri com ela muitas vezes. Vale muito a pena ler esse livro e também assistir o filme dirigido por Steven Spielberg, nunca vi nada mais fiel na minha vida! Enquanto assistia, fiquei surpresa com as falas que são exatamente as do livro! Foi uma das melhores adaptações que já vi!

• Classificação: Muito Bom!