11 de março de 2011

Na minha cabeça?

  Não faz mal algum pensar na vida de vez em quando, encontrar uma palavra que defina o que você está sentindo naquele momento, simplesmente pensar, lembrar, seja essa lembrança boa ou extremamente ruim. Se bem que geralmente as lembranças que nós acabamos por guardar são as melhores possíveis, não importa o quanto toda aquela historia tenha acabado de forma triste.
  E encontrar uma coisa que te faça sorrir sem motivos, ou talvez uma pessoa. Que te faça pensar num futuro, por mais que você tenha certeza de que aquilo tudo não irá passar de sonhos, que te faça feliz só por existir, mesmo que você nem saiba como é o gosto do seu beijo ou o calor de seus braços, assim mesmo você acha aqueles momentos, que não foram vividos, fascinantes. Momentos para serem lembrados e revividos, em sua mente.
  Acho que as vezes nós precisamos mesmo sonhar um pouco, não porque o mundo é difícil de se viver, não por ser mais bonitinho e por acreditar em final feliz, não é porque o arco-íris é mais colorido assim, não é de forma alguma um jeito de fugir da vida real. É simplesmente uma forma de ser feliz, afinal não importa muito bem como chegamos lá não é? O que importa de verdade é como nós sentimos no final, e quantas pessoa ajudamos a se sentir igual no meio desse caminho. Sonhar talvez apenas faça parte da vida real.
  Pensando nisso tudo acho que entendi porque tenho lembrado tanto desses momentos bons, inegavelmente bons, mas que hoje em dia não passam de lembranças de uma historia linda que tinha tudo para dar certo, mas não deu.
   Eu acho que entendi porque.
  Talvez seja mesmo por medo. Quem sabe... Não é esse medo, não esse que eu prometi que iria esquecer, esse eu esqueci. Acho que é mais o medo que inevitavelmente vem quando se sente uma coisa assim tão forte, quando se sente Amor, e principalmente quando já se sentiu antes, quando já se conhece o caminho, as pedras e as curvas, quando já se conhece a dor que o acompanha, quando se está prestes a se curar de tudo isso pra novamente cair nesse abismo de certa forma tão bom. O medo que nós faz tentar descrever o que se está sentindo, mesmo que já se saiba de antemão que é impossível, mesmo que esteja tão claro em seu coração, sua mente não consegue. 
  E não digo isso por achar que estou comparando, de forma alguma, amor não se compara, você pode viver muitos em sua vida, mas todos serão diferentes entre si, seja na intensidade, seja na companhia, seja no olhar... E eu não falo de paixão, amores são muitos. E também não acredito que haja uma única pessoa destinada a você, pois se eu ainda creditasse nisso não estaria hoje escrevendo para você. Mas mesmo sabendo que amores são muitos, sinto-me tentada a acreditar que escolheria você para ser único, pro resto da minha vida.
  É sinto medo sim, mas não é o tipo de medo que poderia nós afastar ainda mais, pelo contrario, ele me une a você e me faz dar explicações para pergunta nenhuma. Me faz querer coisas impossíveis e há muito expulsas de minha mente e de meu coração. Mas acima de tudo, me faz querer a felicidade de estar com alguém do meu lado novamente, me faz querer que esse alguém seja você.
  E não pense que esquecer de olhar pra trás antes de dar o próximo passo seja temor ou mesmo força, faço isso simplesmente porque te amo.

Um comentário:

  1. May! Tem desafio meme novo pra você, lá no blog!

    http://joycenoelly.blogspot.com/2011/03/meme-seu-blog-e-muito-fofinho.html

    Beijos e ótimo fim de semana (:

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar, volte sempre! *-*